A manufatura Vulcain não esqueceu que a relojoaria é o produto de incontáveis tipos de saber-fazer e habilidades artísticas. Quase todo ano, uma série limitada de modelos com mostradores esmaltados enriquece a oferta de novos produtos. Esse tributo ao esmaltador é sutilmente enfatizado ainda mais pelo fato de que a Vulcain usa a técnica do esmalte cloisonné – a mais complicada – nos seus mostradores. O cloisonné permite uma precisão extrema do desenho e uma qualidade excepcional das cores. Sua dificuldade deve-se à meticulosidade e paciência necessárias para executar os desenhos com os finos fios de ouro – pouco mais espessos que um cabelo – que delineiam o objeto e impedem as cores de se misturarem. Depois de coladas as cloisons, ou compartimentos, sobre uma placa de ouro, começa a exigente tarefa de soldar os fios: o artesão coloca então o esmalte em cada célula usando uma pena de ganso. O esmaltador repete essa operação muitas vezes para produzir tonalidades de cor da melhor qualidade. Depois vem o passo de acabamento da superfície, no qual uma lima de diamante é usada para alisar o esmalte, os fios e a placa de ouro subjacente. Para obter a qualidade desejada, cada mostrador exige mais de uma semana de trabalho e pelo menos treze exposições ao fogo a uma temperatura de aproximadamente 800°C.